Domingo, 9 de Outubro de 2005

CONTINUAR...

actual.JPG

Volta e meia, mudo de morada apenas por imposição de limite de armazenagem de posts nos arquivos que o ”sapo” concede para cada blogue. Não discuto a circunstância porque o servidor até se tem portado eficientemente e apresenta a grande vantagem de poder importar imagens directamente do PC. E assim continuo a conviver com o “batráquio”, tanto mais que ele ainda não me falhou na possibilidade de proporcionar guaridas.

Entretanto, de cada vez que me transfiro de residência, aproveito a oportunidade para testar fidelidades – confirmar em que medida os links e os comentadores se mantêm, aqueles que não perdem o rasto. E, em cada teste, vem-me a alegria principal de estar na blogosfera – haver um punhado de amigos adquiridos aqui e por aqui conservados (com uns tantos a quem, entretanto, conheci pessoalmente e passaram de amigos virtuais a amigos reais).

Com tanto tempo de blogar, as minhas preferências, obsessões, embirrações e opções, estão mais que conhecidas. Sei que, politica e ideologicamente, há muito que perdi qualquer hipótese de me resguardar ou sequer surpreender. E a minha satisfação, relativamente ao naipe de “fiéis” que me acompanham há muito na blogosfera, aumenta com o facto de constatar a pluridade dos seus pontos de vistas e opinativa. O que acrescenta valor em termos de confronto de opiniões, em que a frontalidade é lei e o respeito para com opinião diversa é decreto sem necessidade de ser formalizado. E obviamente que estou aberto a quantos aqui queiram vir para contraditar e enriquecer visões, porque, com a idade, só vou confirmando quão pouco e de definitivo vamos sabendo. E que aprendemos sobretudo através de outros ângulos de visão. Mas tendo como insofismável que o direito à diferença implica o respeito pela diferença e que isto é regra democrática e intelectual mínima.

Mantenho que não permitirei que entrem nesta casa, se sentem e bolsem falatório aqueles que não limpam os pés à entrada. Continuarei, pois, a não permitir comentários aos cobardes anónimos que, não dando cara nem nome (pior, falsificando endereços de mail e inventando nick-names de disfarce), querem forçar a entrada a arrotar, para insultarem e caluniarem (o autor e terceiros) ou até imporem discussões que lhes interessam mas não estão na minha agenda. Esta é uma restrição “editorial” que assumo na qualidade de autor e responsável por uma página que é exclusivamente pessoal. Quem não aceita estas regras de conviviabilidade, desampare a loja e crie o seu próprio blogue, porque não vivemos em Cuba, na Coreia do Norte ou na China. E se blogar não lhes interessa, que se entretenham na dança de salão da Sociedade Recreativa de Periscoxe. Uma coisa é certa - não tiro o tapete de entrada da porta. E - ou limpam os pés ou não entram.

O último parárafo tem sobretudo a ver com a intensidade com que, parecendo combinados e organizados em CDR (“Comité de Defesa da Revolução”), uns tantos e tantas, decerto estalinistas de pacotilha pacóvia, almas kapagêbês falhadas, têm tentado tomar de assalto a caixa de comentários deste blogue com insultos e calúnias a coberto do anonimato e depois berram “contra a censura” quando lhes apago o pio. Não passarão. Podem dar trabalho mas não vão ganhar a batalha (que parece organizada) de intimidarem opiniões diferentes ou antagónicas. E era o que faltava, ceder-lhes na liberdade que eles recusam onde são poder e polícia.

Insistir prolongamente num formato de dar opinião, mesmo sendo um meio ligeiro e de curtíssima audiência como é um blogue, traz saturação. Já estive pertíssimo desse ponto, várias vezes e predisposto para dele me libertar. Os amigos e contraditórios que vou encontrando, mais os que gostariam de me abafar a opinião escondidos na gabardine do anonimato, impedem-me de desistir. Continuemos, pois.

E fica, mais uma vez, a fronha exibida na imagem. Para que os considerantes me reconheçam onde quer que me encontre e me dêm o prazer de os cumprimentar. E como desafio aos policiais anónimos para que mostrem as caras, eles também.
publicado por João Tunes às 00:44
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Joo a 11 de Outubro de 2005 às 13:34
Mas como sei onde vota se ainda não disse. Ah, um momento, julgo que seja na Póvoa de Varzim. Acertei?


De mfc a 9 de Outubro de 2005 às 02:16
E por causa das coisas... vou já alterar o link... mesmo antes de ir votar... onde o meu amigo sabe!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. OS VOTOS E OS RATOS

. Bom fim-de-semana

. A Guidinha é que sabe...

. SABER CONTAR

. VIOLÊNCIA SOBRE AS CRIANÇ...

. UM CRIATIVO (ou a melhor...

. PROFESSOR EGAS MONIZ

. UM PARA UM

. REVISÃO

.arquivos

. Setembro 2007

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds