Domingo, 9 de Outubro de 2005

PARABÉNS

[Error: Irreparable invalid markup ('<img [...] /<br>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<img alt="capt.sge.lcu84.110705232539.photo00.photo.default-380x251[1].jpg" src="http://agualisa4.blogs.sapo.pt/arquivo/capt.sge.lcu84.110705232539.photo00.photo.default-380x251[1].jpg" width="380" height="251" border="0" /<br><br><br>Por uma vez, felicito dois Partidos de uma vezada:<br><br>- O PSD pela coragem das derrotas em Gondomar e Oeiras (<i>embora seja lamentável que tenha claudicado em Leiria</i>);<br><br>- O PS pela coragem da derrota em Felgueiras.<br><br>Numa época em que tantos malham forte e feio nos Partidos, nestes concelhos, os Partidos portaram-se melhor que os eleitores. Já não era sem tempo, os Partidos aproveitarem para dar exemplo, correndo o risco de não serem seguidos pelos que, dizendo mal da “classe” dos políticos e dos partidos, afinal preferem, entre estes, a “sub-classe” dos arguidos.<br><br><i>Nota: Para que se não pense que prefiro os Partidos aos eleitores, deixo também felicitações aos eleitores de:<br><br>- Amarante (onde o "arguido" não passou).</i>
publicado por João Tunes às 20:38
link do post | comentar | favorito
|

AGORA, MAIS GOLOS NOUTRAS BALIZAS

Triangulo2006.gif

Pois eu sei que o futebol é futebol. Tem muita coisa rasca. Sobretudo, a dificuldade de, através do futebol, se passar do argumento primário e fixado, o que transforma a maioria das discussões futebolísticas em jogos de teimosias exacerbadas. Nada, ou quase nada, se aprende a falar de futebol e a ler sobre futebol.

Mas o futebol é o maior espectáculo de massas. A grande paixão das massas. Um jogo colectivo que, quando bem jogado, é um espectáculo único (e um mau jogo de futebol é pior que um mau filme ou um mau livro?). E tem uma margem razoável de imprevisibilidade. E tem os golos, vivendo dos golos – a alegria e o desespero dos golos. Sendo tudo isto, o futebol tem regras fáceis de entender, o que é pedra fundamental da sua popularidade, tornando-o acessível até a um analfabeto ou a uma criança. O que torna cada espectador num treinador de bancada ou sofá, com direito a opinar sobre tudo – sobre o jogo, o árbitro, o treinador, as equipas, os jogadores, absolutamente tudo. E aqueles noventa minutos transformam-se em momentos em que se renasce ou desfalece, apetencendo ir depois para rua abraçar o vizinho e comemorar como se mais um filho tivesse nascido ou esconder a tristeza dentro da alma e só querer conversar com o silêncio.

Entre os países da lusofonia, mais que os laços da língua, perduram os laços que ficaram e que passavam, e passam, pelas bolas de futebol. Para o bem ou para o mal, o futebol é, sem dúvida, o ponto de melhor encontro entre povos irmãos em que cada um foi às suas, vivendo em casas próprias. E se sobrou quase só isso, que isso se aproveite para se querer mais.

No Mundial na Alemanha - 2006, lá se encontrarão Brasil, Portugal e Angola, sendo só de lamentar os outros que lá não conseguiram chegar. Até que cheguem os momentos em que não caberemos todos, tendo de nos defrontar, celebremos este feito único da tri-presença do falar português num Campeonato do Mundo. E que os abraços de alegrias comuns de hoje, por causa do futebol, ganhem raízes para outras venturanças comuns que só fazem bem a uns e a outros. Precisamos de mais golos noutras balizas.

Imagem roubada no Pululu.
publicado por João Tunes às 17:40
link do post | comentar | favorito
|

EM DIA DE ELEIÇÕES

prikolostisnogoi.jpg

Ou muito me engano ou aqueles que se puseram a dormir - embalando sonos de sobre e subestimação - vão ter uma desagradável surpresa ao acordarem hoje lá para o princípio da noite ... Bem feito, antecipo já.
publicado por João Tunes às 01:12
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

CONTINUAR...

actual.JPG

Volta e meia, mudo de morada apenas por imposição de limite de armazenagem de posts nos arquivos que o ”sapo” concede para cada blogue. Não discuto a circunstância porque o servidor até se tem portado eficientemente e apresenta a grande vantagem de poder importar imagens directamente do PC. E assim continuo a conviver com o “batráquio”, tanto mais que ele ainda não me falhou na possibilidade de proporcionar guaridas.

Entretanto, de cada vez que me transfiro de residência, aproveito a oportunidade para testar fidelidades – confirmar em que medida os links e os comentadores se mantêm, aqueles que não perdem o rasto. E, em cada teste, vem-me a alegria principal de estar na blogosfera – haver um punhado de amigos adquiridos aqui e por aqui conservados (com uns tantos a quem, entretanto, conheci pessoalmente e passaram de amigos virtuais a amigos reais).

Com tanto tempo de blogar, as minhas preferências, obsessões, embirrações e opções, estão mais que conhecidas. Sei que, politica e ideologicamente, há muito que perdi qualquer hipótese de me resguardar ou sequer surpreender. E a minha satisfação, relativamente ao naipe de “fiéis” que me acompanham há muito na blogosfera, aumenta com o facto de constatar a pluridade dos seus pontos de vistas e opinativa. O que acrescenta valor em termos de confronto de opiniões, em que a frontalidade é lei e o respeito para com opinião diversa é decreto sem necessidade de ser formalizado. E obviamente que estou aberto a quantos aqui queiram vir para contraditar e enriquecer visões, porque, com a idade, só vou confirmando quão pouco e de definitivo vamos sabendo. E que aprendemos sobretudo através de outros ângulos de visão. Mas tendo como insofismável que o direito à diferença implica o respeito pela diferença e que isto é regra democrática e intelectual mínima.

Mantenho que não permitirei que entrem nesta casa, se sentem e bolsem falatório aqueles que não limpam os pés à entrada. Continuarei, pois, a não permitir comentários aos cobardes anónimos que, não dando cara nem nome (pior, falsificando endereços de mail e inventando nick-names de disfarce), querem forçar a entrada a arrotar, para insultarem e caluniarem (o autor e terceiros) ou até imporem discussões que lhes interessam mas não estão na minha agenda. Esta é uma restrição “editorial” que assumo na qualidade de autor e responsável por uma página que é exclusivamente pessoal. Quem não aceita estas regras de conviviabilidade, desampare a loja e crie o seu próprio blogue, porque não vivemos em Cuba, na Coreia do Norte ou na China. E se blogar não lhes interessa, que se entretenham na dança de salão da Sociedade Recreativa de Periscoxe. Uma coisa é certa - não tiro o tapete de entrada da porta. E - ou limpam os pés ou não entram.

O último parárafo tem sobretudo a ver com a intensidade com que, parecendo combinados e organizados em CDR (“Comité de Defesa da Revolução”), uns tantos e tantas, decerto estalinistas de pacotilha pacóvia, almas kapagêbês falhadas, têm tentado tomar de assalto a caixa de comentários deste blogue com insultos e calúnias a coberto do anonimato e depois berram “contra a censura” quando lhes apago o pio. Não passarão. Podem dar trabalho mas não vão ganhar a batalha (que parece organizada) de intimidarem opiniões diferentes ou antagónicas. E era o que faltava, ceder-lhes na liberdade que eles recusam onde são poder e polícia.

Insistir prolongamente num formato de dar opinião, mesmo sendo um meio ligeiro e de curtíssima audiência como é um blogue, traz saturação. Já estive pertíssimo desse ponto, várias vezes e predisposto para dele me libertar. Os amigos e contraditórios que vou encontrando, mais os que gostariam de me abafar a opinião escondidos na gabardine do anonimato, impedem-me de desistir. Continuemos, pois.

E fica, mais uma vez, a fronha exibida na imagem. Para que os considerantes me reconheçam onde quer que me encontre e me dêm o prazer de os cumprimentar. E como desafio aos policiais anónimos para que mostrem as caras, eles também.
publicado por João Tunes às 00:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 8 de Outubro de 2005

AS SONDAGENS E O VOTO

contempla.JPG

Pelas sondagens, há empate técnico à vista. Um empate não tem graça. O que um português menos gosta é de empatar, embora passem a vida a empatarem-se uns aos outros. Os que empatam bem, gostando de empatar, são os eleitores da Alemanha. Por falar em Alemanha, em quem é que Ratzinger recomendaria que eu votasse? Para desempatar, é claro.
publicado por João Tunes às 18:55
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

LUSOFONIA EM FESTA

Imagem20005.jpg

Angola passou! Está no Mundial 2006 - Alemanha. Mais logo, passa (tem de passar) Portugal. Lá nos encontraremos, na Alemanha. Bonito de ver a lusofonia em festa.

Um abraço especial ao Eugénio que catalizou o apoio blogo-lusófono para impôr a transmissão do jogo Rwanda-Angola na RTP.
publicado por João Tunes às 17:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Outubro de 2005

VOTAR PARA AS AUTARQUIAS

educ.JPG

Quase vinte anos morando por aqui, não tenho razões de queixa, daquelas de monta, do trabalho autárquico que aqui se presta. Podendo-se fazer melhor, não se faz o pior. Esta a razão porque, em dissonância com opções em outras disputas eleitorais, mantive sempre fidelidade de voto CDU nas Autarquias.

Julgo que não seja caso único. E, mais ou menos, será o caso um pouco pelo País fora. O que explica que, nas autárquicas, a CDU tenha sempre conseguido os seus melhores resultados eleitorais. Não são os que já foram, mas continuam a ser os seus melhores.

Embora esta distinção autarquias/parlamento tenha um lado contraditório na medida em que significa que se confia na gestão imediata e de rédea curta mas desconfia-se em termos de uso de poder mais alargado e efectivo, o certo é que a CDU tinha aceitado este “compromisso” de balanceamento eleitoral, esforçando-se por valorizar localmente os seus méritos autárquicos com os sinetes do “TRABALHO, HONESTIDADE, COMPETÊNCIA”. Desta forma, havia um compromisso tácito entre eleitores e CDU que desembocava numa selectividade de voto que revertia no património da votação autárquica da CDU.

Para meu espanto, a CDU, pela voz de Jerónimo de Sousa, resolveu, nesta campanha eleitoral, quebrar este jogo e levar as autárquicas à sua máxima politização. O SG do PCP disse claramente, com todas as letras, que o mais importante nestas eleições, acima da opção quanto à resolução dos problemas locais, era a avaliação da política do Governo e o seu castigo nas urnas. Julgo que o terá feito com a barriga inchada pela mobilização, que ele julgará que reverterá em meritização eleitoral do PCP, dos sectores mais avançados, concientes e combativos da classe operária em luta contra o Governo – militares, esposas dos militares, polícias, juízes, oficiais de diligências, funcionários públicos, professores, médicos, enfermeiros e donos de farmácias. Talvez confiando nos juros permitidos por vários descontentamentos sociais para contrabançar desgastes e perdas de influência em algumas zonas admitidas como de influência tradicional e segura do PCP. Mas sendo uma inversão táctica importante do PCP, nada tenho contra pois mal parecia que um novo SG não trouxesse novidade alguma.

Assim, fiquei a saber que votar CDU na minha Autarquia deixou de ter o sentido - do ponto de vista da própria CDU - que tinha antes: o de avaliação sobre o trabalho autárquico na minha zona (por sinal, sob maioria absoluta da CDU) mas, antes, se transformou numa opção para avaliar o governo versus luta de classes dirigida pelo PCP. Não fugirei a este desafio de mudança política. E eu, singelo eleitor, atento às mudanças, irei votar em conformidade. Não votando CDU.
publicado por João Tunes às 00:45
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quinta-feira, 6 de Outubro de 2005

NOVA MUDANÇA, NOVA CORRIDA

sucata.JPG

A carripana está mais que usada, gasta e a ameaçar gripagem. Mas anda. Vai andando. Tem que andar. Que o optimismo nunca faleça. Ora bem!

Nota: Antes de aqui estar, já andei por aqui, aqui, aqui e aqui. Uff, isto é que tem sido caminhar. Como é que a carripana não havia estar em mau estado... Mas, desde que arrancou, ainda não parou, essa é que é essa!
publicado por João Tunes às 18:53
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. OS VOTOS E OS RATOS

. Bom fim-de-semana

. A Guidinha é que sabe...

. SABER CONTAR

. VIOLÊNCIA SOBRE AS CRIANÇ...

. UM CRIATIVO (ou a melhor...

. PROFESSOR EGAS MONIZ

. UM PARA UM

. REVISÃO

.arquivos

. Setembro 2007

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds