Terça-feira, 6 de Dezembro de 2005

LIÇÕES DE UMA DECEPÇÃO ANUNCIADA

COCCO.jpg

Se Alegre tivesse sido truculento, teriam dito que ele não ia lá assim. Como não foi, o debate foi morno e coisa e tal. Ou seja, para os “soaristas”, o debate não prestou (nunca prestaria é claro), por falta de próstata combativa ao Presidente Poeta.

Ao contrário, eu acho que Alegre esteve bem em não ficar com o ónus da colisão com o mimetismo de Cavaco, sem deixar de marcar as diferenças pela esquerda. Porque, ao contrário do que pensarão os estrategas da candidatura de direita, o mimetismo transformista de Cavaco acabará, não por o “recuperar”, consolidando uma aceitação inicial e de inércia, mas por o despir da representação desértica de não ser nem Cavaco nem deixar de o ser.

A encenação cavaquista, transformando o candidato num mutante, se lhe retira antipatias, descarna a figura, transformando-o num manequim. E julgo que não se vai dar maioria absoluta a um manequim construído e deslavado. Porque, assim, Cavaco, se perde defeitos e handicaps, também desperdiça o elan da austeridade autoritária em que muitos projectavam a vinda do Messias para a crise. Há aqui uma contradição insanável: ao deslocar-se para o centro-esquerda, Cavaco desanima eleitorado à direita e não consegue penetrar no eleitorado de esquerda (já, por si, saturada com candidatos para todos os gostos e feitios). E o grande erro (felizmente!) de Cavaco é querer, com a representação forçada da “abrangência”, ganhar logo na primeira volta. Assim, vai, ao centro, gerar desconfortos e libertar eleitorado aproveitável por Alegre na segunda volta. E, entretanto, nos debates seguintes, o desgaste trauliteiro de Cavaco pela esquerda até está bem entregue (Jerónimo, Louçã e Soares). Esses sim, têm a ciclópica tarefa de conseguirem dois resultados – forçar segunda volta e conseguirem lá meter Soares (o candidato da esquerda partidária).

Na segunda volta, o caso mudará de figura. Mas para haver segunda, é preciso que a primeira não seja a última, não é?
publicado por João Tunes às 16:28
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De IO a 9 de Dezembro de 2005 às 11:52
Olá João, pois a minha fonte também vai votar Alegre, mas achou que o debate poderia ter sido mais interessante... será culpa do modelo 'imposto' pelo Cavaco? - abraço, IO.


De Margarida a 6 de Dezembro de 2005 às 21:27
Não é só uma sondagem da Aximage. É a terceira sondagem da Aximage. E a Aximage não só foi a empresa que fez a primeira sondagem para estas presidenciais (em 28/10) como também foi a empresa que (anteriormente) maiores resultados “previu” para o Cavaco e para o Alegre. E agora diz-nos que o Cavaco perdeu 5,3%, o Alegre, 3,2% (e baixou para o 3º lugar) e que as pessoas que não sabem ou não respondem subiram 2,8% …Não, esta sondagem não é da tal empresa que os alegristas dizem ser tendenciosa: é até da empresa que mais fretes tem feito a Cavaco e a Alegre.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. OS VOTOS E OS RATOS

. Bom fim-de-semana

. A Guidinha é que sabe...

. SABER CONTAR

. VIOLÊNCIA SOBRE AS CRIANÇ...

. UM CRIATIVO (ou a melhor...

. PROFESSOR EGAS MONIZ

. UM PARA UM

. REVISÃO

.arquivos

. Setembro 2007

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds